O que são ciclovia, ciclofaixa, ciclorrota e espaço compartilhado

As vias destinadas a ciclistas têm se tornado cada vez mais comuns nas cidades, proporcionando uma alternativa de transporte sustentável e saudável. 

No entanto, mesmo com google maps ou outro app de bike, é comum surgirem dúvidas em relação aos diferentes tipos de infraestruturas ciclísticas, como ciclovia, ciclofaixa e ciclorrota. 

É importante entender corretamente os sinais, os espaços destinados aos ciclistas no trânsito e quais restrições existem em cada um deles, para que na hora de pedalar na cidade, você pedale em segurança.

Neste artigo, vamos explorar as características de cada uma delas, esclarecendo suas diferenças e como contribuem para a mobilidade urbana. 

Continue lendo!

Entenda sobre ciclovias, ciclofaixas e ciclorrotas

Em primeiro lugar, é essencial compreender as distinções entre ciclovia, ciclofaixa e ciclorrota, considerando a delimitação da pista e os elementos que as cercam.

Embora todas essas vias sejam projetadas para a circulação de bicicletas, bikes elétricas e patinetes, cada uma apresenta características próprias. Portanto, é fundamental familiarizar-se com esses espaços caso deseje utilizá-los.

Com o intuito de facilitar a compreensão, abordaremos separadamente o conceito de ciclorrota, ciclovia e ciclofaixa. 

Dessa forma, quando você estiver pedalando em ruas e avenidas, principalmente nas áreas urbanas mais movimentadas, será capaz de identificar e distinguir essas vias

Diferença entre ciclovia e ciclofaixa

As ciclovias e ciclofaixas são de uso exclusivo do ciclista, entretanto, existem diferenças entre si.

Enquanto a ciclovia é um espaço exclusivo de ciclistas, sendo uma área segregada da calçada e da rua, que são os espaços destinados aos pedestres e aos carros.

Respectivamente, a ciclofaixa é um espaço na rua delimitado, compartilhando, portanto, a rua com os carros. 

O que é ciclofaixa?

No Manual do Denatran, a ciclofaixa é definida como:

“Parte da pista, calçada ou canteiro central destinado à circulação exclusiva de ciclos, delimitada por sinalização viária, podendo ter piso diferenciado e ser implantada no mesmo nível da pista de rolamento, ou da calçada ou do canteiro.”

É, portanto, apenas uma faixa pintada no chão, podendo existir “olhos de gato” ou tartarugas, sendo, então, bem mais barato que uma ciclovia.

Em geral, é mais indicado em locais nos quais o trânsito de veículos é menos veloz. 

Recomendado:  Pedalar engrossa as pernas?

Para que serve a ciclofaixa?

Trata-se de um espaço delimitado na própria pista (junto com os demais veículos), calçada ou canteiro, sendo exclusiva dos ciclistas.

Ciclofaixa: Compartilhamento do Espaço com Veículos

Diferente da ciclovia, a ciclofaixa é uma faixa exclusiva para ciclistas que compartilham o espaço com os veículos motorizados. 

Geralmente, é demarcada na via de tráfego, separada apenas por sinalização horizontal, como tachões ou pinturas no asfalto.

As ciclofaixas são implantadas em vias com menor fluxo de veículos ou em determinados horários, buscando proporcionar um espaço seguro para os ciclistas em trechos específicos. 

Elas podem ser temporárias, como nas ciclovias de lazer que são instaladas aos domingos, ou permanentes, quando há a demarcação fixa na via.

Embora a ciclofaixa não ofereça a mesma segurança e exclusividade que a ciclovia, ela ainda contribui para incentivar o uso da bicicleta como meio de transporte. 

Sua implantação é uma alternativa mais rápida e econômica em comparação com a construção de ciclovia, possibilitando a criação de rotas ciclísticas em locais estratégicos da cidade.

ciclofaixa-para-bike

O que é ciclovia?

A ciclovia, diferentemente da ciclofaixa, é um espaço totalmente segregado do tráfego dos demais veículos e pedestres, sendo de circulação exclusiva de ciclistas.

A separação pode ser feita de várias maneiras como com grade, mureta, meio fio, blocos de concreto etc.

Em geral, a ciclovia também tem uma cor diferente.

O uso da ciclovia está mais presente em vias expressas e avenidas, protegendo o ciclista do tráfego intenso e rápido e evitando que os motoristas adentrem nessa via exclusiva.

Ciclovia: Segurança e Exclusividade para os Ciclistas

A ciclovia é uma infraestrutura dedicada exclusivamente aos ciclistas. Ela é fisicamente separada das vias de tráfego de veículos motorizados, garantindo maior segurança aos usuários. 

Geralmente, as ciclovias são projetadas para percorrer trajetos mais longos, conectando diferentes regiões da cidade.

As ciclovias são construídas de acordo com critérios técnicos e normas específicas, com largura adequada para permitir a circulação de ciclistas em ambos os sentidos. 

Além disso, costumam ser sinalizadas com placas e pinturas no solo, indicando sua função e direcionando os usuários.

Um dos principais benefícios das ciclovias é a sensação de segurança que proporcionam aos ciclistas, uma vez que eles não precisam compartilhar o espaço com veículos motorizados. 

Isso encoraja mais pessoas a adotarem a bicicleta como meio de transporte, contribuindo para a redução do trânsito e da poluição nas cidades.

Recomendado:  Bicicleta ergométrica emagrece?
ciclovia-para-bike

O que é ciclorrota?

O Manual do Denatran também define a Rota de Bicicleta ou Ciclorrota:

“São vias sinalizadas, no solo ou em placas, que compõem o sistema ciclável da cidade, de forma a interligar pontos de interesse, ciclovias e ciclofaixas”.

É, portanto, um espaço compartilhado, podendo funcionar como:

  • Calçada
  • Canteiro
  • Ilha
  • Passarela
  • Passagem subterrânea
  • Via de pedestres
  • Faixa ou pista sinalizadas (em que a circulação de bicicletas é compartilhada com pedestres ou veículos, criando condições favoráveis para sua circulação).


Trata-se mais de um trajeto do que uma faixa da via.

ciclorrota-para-bike

Ciclorrota: Conexão Estratégica entre Bairros e Destinos

A ciclorrota é um conceito que se baseia na definição de rotas ciclísticas que conectam diferentes bairros e destinos relevantes em uma cidade.

Ela pode combinar diferentes tipos de infraestruturas, como ciclovia, ciclofaixa e até mesmo trechos compartilhados com veículos.

O objetivo da ciclorrota é oferecer uma rede de percursos seguros para os ciclistas, promovendo a interligação de áreas e facilitando o deslocamento de um ponto a outro.

Em muitos casos, as ciclorrotas são implementadas em vias secundárias ou ruas com menor tráfego, priorizando a segurança e a conveniência dos ciclistas.

Uma característica importante das ciclorrotas é a sinalização adequada, indicando o caminho e informando aos motoristas sobre a presença de ciclistas.

Além disso, a manutenção adequada das vias é essencial para garantir o conforto e a segurança dos usuários.

O que são espaços compartilhados?

Segundo o Manual, são “espaços da via pública destinados prioritariamente aos pedestres, onde os ciclistas compartilham a mesma área de circulação, desde que devidamente sinalizada”.

Ou seja, é um local que deve ser compartilhado por todos que participam do trânsito, como veículos motorizados, bicicletas e pedestres.

Em um espaço compartilhado, os veículos motorizados devem prezar pela segurança dos menores, mantendo distância mínima de 1,5m ao ultrapassar bicicletas, sempre reduzindo a velocidade.

espaço-compartilhado-para-bike

Quais são as dimensões da ciclofaixa?

Segundo Geipot (2001), uma ciclofaixa comum deve ter no mínimo 1,80 m de largura.

Sendo 1,20 m destinado à circulação das bicicletas, 0,20 m a zona de separação do meio-fio e 0,40 m a zona de separação da corrente do tráfego motorizado.

Transitar com veículos em ciclovias ou ciclofaixas é multa?

O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) determina as diretrizes da convivência dos veículos automotores com os ciclos.

Em primeiro lugar, é preciso ter em mente que os ciclos têm preferência sobre os automóveis.

O Código ainda orienta que, durante a manobra de mudança de direção, o condutor deverá ceder passagem a pedestres e ciclistas.

  • Art. 193. Transitar com o veículo em calçadas, passeios, passarelas, ciclovias, ciclofaixas, ilhas, refúgios, ajardinamentos, canteiros centrais e divisores de pista de rolamento, acostamentos, marcas de canalização, gramados e jardins públicos;
  • Infração – gravíssima;
  • Penalidade – multa (três vezes).
  • Art. 181. VIII – no passeio ou sobre faixa destinada a pedestre, sobre ciclovia ou ciclofaixa, bem como nas ilhas, refúgios, ao lado ou sobre canteiros centrais, divisores de pista de rolamento, marcas de canalização, gramados ou jardim público:
  • Infração – grave;
  • Penalidade – multa;
  • Medida administrativa – remoção do veículo.
Recomendado:  Andar de bicicleta perde barriga? Afina a cintura?

Portanto, as regras de trânsito para ciclistas dizem que transitar com veículos ou estacionar em ciclovias ou ciclofaixas pode fazer com que você receba uma multa gravíssima ou grave.

Quais são os benefícios para a segurança da sociedade e do ciclista?

Dados do Ministério da Saúde atestam que, por ano, em todo o Brasil, cerca de 1.300 ciclistas perderam a vida no trânsito

Considerando que a bicicleta não utiliza combustível, ela é uma excelente opção para quem deseja ser mais sustentável e não deseja agredir mais o planeta.

É também uma excelente opção para quem deseja ter uma vida mais saudável ou então trabalhar de Uber Eats de bicicleta.

Podendo funcionar tanto como um meio de transporte ou como um meio de realizar atividade física, claro, sempre com segurança e equipamentos de proteção.

Conclusão

Neste artigo, exploramos as diferenças entre ciclovia, ciclofaixa e ciclorrota, três tipos de infraestruturas ciclísticas que contribuem para a mobilidade urbana

Enquanto a ciclovia oferece maior segurança e exclusividade aos ciclistas, a ciclofaixa compartilha o espaço com veículos motorizados e a ciclorrota busca conectar bairros e destinos estratégicos.

É importante ressaltar que a escolha do tipo de infraestrutura a ser implantada em uma cidade depende de diversos fatores, como o fluxo de tráfego, a demanda dos ciclistas e a disponibilidade de recursos. 

O ideal é que haja um planejamento integrado, considerando as necessidades de mobilidade e promovendo a segurança e a acessibilidade para todos.

Agora que você compreende a diferença entre ciclovia, ciclofaixa e ciclorrota, cuide para não pedalar em locais proibidos e, aproveite para explorar as opções ciclísticas na sua cidade e descubra novas formas de se deslocar de maneira sustentável e saudável

Veja também

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Como você achou esse post útil...

Sigam nossas mídias sociais

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Mais Populares